Você detém uma dica incrível de leitura sobre melhores práticas em relações governamentais, transparência, combate e corrupção? Mande um e-mail para gente: irelgov@irelgov.com.br


POLÍTICAS PÚBLICAS – Conceitos, esquemas de análise, casos práticos 2ª edição

Este é o primeiro livro didático de Políticas Públicas lançado no Brasil. Com linguagem simples e direta, traz conceitos fundamentais, tipologias e categorias analíticas já consolidadas na literatura internacional. A organização do volume coloca em evidência cinco dimensões analíticas para um estudo mais completo de política pública: 1. dimensão de conteúdo (tipos de política pública); 2. dimensão temporal (ciclo de políticas públicas); 3. dimensão espacial (instituições); 4. dimensão de atores; 5. dimensão comportamental (estilos de políticas públicas).

Cada capítulo contém um mini caso, exercícios de fixação, exemplos práticos e bibliografia de aprofundamento. Os mini casos são de especial interesse: elaborados de forma a inter relacionar os conteúdos das dimensões analíticas, convidam o leitor a entender uma situação política complexa, ou o colocam numa situação de tomada de decisão ou diante da prospecção de soluções para um problema público.

Para esta 2ª edição, foram elaboradas questões de múltipla escolha para que o leitor possa testar a apreensão do conteúdo dos capítulos e o professor possa utilizar como instrumento de avaliação.
O livro também traz um glossário de termos para aqueles que estão iniciando na área de políticas públicas. Serve como livro-texto em cursos de graduação e pós-graduação.

 

POLÍTICAS PÚBLICAS – Conceitos, esquemas de análise, casos práticos 2ª edição.

Autor: SECCHI, LEONARDO.

Editora: CENGAGE LEARNING.

Sistema Político Brasileiro: uma introdução

Dividida em sete partes, esta obra, que contou com a colaboração de acadêmicos de expressão, aborda questões que envolvem o recente passado autoritário do Brasil. Tendo como pano de fundo preocupações quanto à consolidação de um regime plural, que assegure os valores da liberdade e de participação ampliada e a incorporação crescente de todos para uma cidadania plena, apresenta indagações com relação – às relações entre os níveis de governo; às atribuições do Estado Federal, dos estados e municípios; às dificuldades da vida municipal, sob os aspectos político e administrativo; à separação entre o público e o privado; ao papel das forças armadas, das igrejas e das elites empresariais e políticas, na construção da política e do Estado brasileiro.

SISTEMA POLÍTICO BRASILEIRO: UMA INTRODUÇÃO.

Autor: AVELAR, LUCILA E CINTRA, ANTÔNIO OCTAVIO.
Editora: UNESP.

 

 

REFORMA POLÍTICA: O Debate Inadiável

Considerada a mãe de todas as reformas, a reforma política é um tema recorrente. O livro de Murillo de Aragão apresenta textos que desvendam o mistério da reforma política. Por que temos que fazê-la e por que não conseguimos avançar. Além de apresentar uma perspectiva histórica sobre o tema, Aragão traz análises e propostas sobre a reforma política no Brasil. Ele não fica preso apenas ao imediato nem ao circunstancial, tenta com coragem mergulhar no caos da realidade política do Brasil, fazendo interpretações, tirando lições e apontando caminhos. O autor traz ao debate as principais propostas que estão sendo discutidas, as perspectivas reais para uma reforma política a curto e a médio prazo e para o futuro da nossa democracia.

 

REFORMA POLÍTICA: O Debate Inadiável.

Autor: ARAGÃO, MURILLO DE.

Editora: CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA.

Grupos de Pressão no Congresso Nacional

Como a sociedade pode defender licitamente seus direitos no poder Legislativo. Além dos aspectos conceituais e estudo comparativo das experiências de lobbying em outros países, especialmente EUA, a obra faz uma verdadeira radiografia dos grupos de pressão que atuaram na constituinte. O lobby, desde que exercido com transparência e ética, como enfatiza o autor, constitui-se num instrumento útil a processo decisório no Parlamento, contribuindo enormemente para o esclarecimento de aspectos técnicos e interesses políticos, econômicos e sociais envolvidos.

 

GRUPOS DE PRESSÃO NO CONGRESSO NACIONAL.

Autor: ARAGÃO, MURILLO DE.

Editora: MALTESE.

Raízes do Brasil

Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda, publicado em 1936, é uma interpretação original da decomposição da sociedade tradicional brasileira e da emergência de novas estruturas políticas e econômicas. Uma visão inovadora que introduziu os conceitos de patrimonialismo e burocracia, explicando os novos tempos.

É um livro inovador no que diz respeito à busca da identidade nacional. Num momento onde a psicologia vinha se desenvolvendo muito e a sociologia começava a perder seu caráter altamente “científico”, Sérgio Buarque foi atrás do que poderíamos chamar de essência do homem brasileiro. Num jogo de idas e vindas pela nossa história, deixando claro os momentos que mais considerava, foi construindo um panorama histórico no qual inseriu o “homem cordial”, que nada mais é do que fruto de nossa história, originada da colonização portuguesa, de uma estrutura política, econômica e social completamente instável de famílias patriarcais e escravagistas.

 

RAÍZES DO BRASIL
Autor: HOLANDA, SÉRGIO BUARQUE DE
Editora: COMPANHIA DAS LETRAS

A Sociedade em Rede – A Era da Informação – Vol. 1 – 10ª Ed.

Em Sociedade em Rede, o primeiro volume da trilogia A Era da informação: Economia, sociedade e cultura, um dos maiores cientistas sociais da atualidade, Manuel Castells, busca esclarecer a dinâmica econômica e social da nova era da informação. Baseado em pesquisas feitas nos Estados Unidos, Ásia, América Latina e Europa, procura formular uma teoria que dê conta dos efeitos fundamentais da tecnologia da informação no mundo contemporâneo.

O autor propõe o conceito de capitalismo informacional, e constrói seu raciocínio partindo da história do forte desenvolvimento das tecnologias a partir da década de 1970 e seus impactos nos diversos campos das relações humanas. Demonstra como tecnologias, inicialmente impulsionadas pelas pesquisas militares, foram amplamente utilizadas pelo setor financeiro, justamente em um momento de necessidade de reestruturação do capitalismo, assim como também tiveram papel fundamental na reestruturação das empresas.

A SOCIEDADE EM REDE – A ERA DA INFORMAÇÃO
Autor: CASTELLS, MANUEL
Editora: PAZ E TERRA
Volume: 01

O Cerco aos Corruptores

Os constantes escândalos de corrupção que vêm sendo noticiados no Brasil nos últimos tempos podem fazer muita gente achar que o crime está vencendo a guerra contra a ética. Mas a maior divulgação pode representar, na verdade, o oposto: o enfrentamento real desse problema que corróis a nação. Essa é a tese que prevalece no livro O Cerco aos Corruptores A História e os Desafios da Nova Lei que Pune as Empresas por Práticas Ilegais e Antiéticas, escrito pelo jornalista Oscar Pilagallo, a partir de um seminário realizado pelo ETCO – Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial, em parceria com o jornal Valor Econômico. O livro resume os principais temas debatidos no evento, como a responsabilidade objetiva e solidária das empresas, as regras dos acordos de leniência e os princípios que devem orientar um programa de compliance. Além do conteúdo do seminário, Pilagallo incorporou na obra as novas regulamentações da Lei Anticorrupção, ocorridas em 2015. Evandro Guimarães, presidente do ETCO, menciona no texto de abertura do livro: “O Grande risco para uma nação não é a corrupção em si. Corrupção existe mesmo nos países mais avançados. O perigo maior é as pessoas se acostumarem com ela, pararem de confiar nas instruções e perderem a capacidade de indignação. Ou pior: acreditarem que a corrupção faz parte da cultura e passarem, elas próprias, a praticar atos ilegais em troca de vantagens indevidas, sem culpa ou remorso. Um país assim, está condenado à decadência ética, mora e econômica. Felizmente, os sinais são de que o Brasil optou por outro caminho”.

 

O CERCO AOS CORRUPTORES
Autor: PILAGALLO, OSCAR
Editora: ELSEVIER-CAMPUS

Livros de Stephanie D. Vance

Considerando o cenário desafiador do mundo dos negócios, mudanças nas esferas política econômica são prováveis. Estratégias para influenciar estas mudanças para melhor e táticas que possibilitem uma maior chance de sucesso em qualquer situação, são importantes ferramentas para seu aperfeiçoamento, que podem ser obtidos nos livros sobre lobby e defesa de interesses de Stephanie D. Vance, conhecida como a “Advocacy Guru” na cena política de Washington e no mundo.

Vance é uma veterana, com mais de 25 anos de carreira na área de Relações Governamentais. Formou profissionais de entidades americanas nas áreas de saúde, transporte, educação, passando também por países do bloco soviético e da África, dividindo suas experiências, a fim de aperfeiçoar as relações com os poderes públicos.

The Influence Game: 50 insider Tactics from the Washington D.C. Lobbying World that Will Get You To Yes

Citizens in Action: A Guide to Lobbying and Influencing Government

Government by the People: How to Communicate with Congress

The Advocacy Handbook: A Practioner´s Guide to Achieving Policy Goals Through Organization Networks (este foi escrito juntamente com outra autora, Christy Talbot).

Por que as nações fracassam

Esta obra apresenta o seguinte sumário – Prefácio – Por que os egípcios lotaram a Praça Tahrir para derrubar Hosni Mubarak e o que isso significa para nosso entendimento das causas da prosperidade e da pobreza; 1. Tão próximos, mas tão diferentes – Nogales, Arizona, e Nogales, Sonora, têm o mesmo povo, cultura e geografia. Por que uma é rica e a outra é pobre?; 2. Teorias que não funcionam – Países pobres são pobres não em virtude de suas condições geográficas ou culturais nem porque seus líderes ignoram que políticas são capazes de enriquecer seus cidadãos; 3. A criação da prosperidade e da pobreza – Como prosperidade e pobreza são determinadas pelos incentivos criados por instituições e como a política determina que instituições a nação terá; 4. Pequenas diferenças e conjunturas críticas; o peso da história – Como as instituições mudam por meio de conflitos políticos e como o passado modela o presente; 5. ‘Eu vi o futuro e ele funciona’ – O crescimento sob instituições extrativistas – O que Stálin, o Rei Shyaam, a Revolução Neolítica e as cidades-estados maias tinham em comum e como isso explica por que o atual surto de crescimento econômico chinês não vai durar; 6. Diferenciação – Como as instituições evoluem ao longo do tempo, em geral diferenciando-se lentamente umas das outras; 7. A reviravolta – Como uma revolução política em 1688 mudou as instituições na Inglaterra e engendrou a Revolução Industrial; 8. Não no nosso quintal – barreiras ao desenvolvimento – Por que os poderosos políticos de tantas nações fizeram frente à Revolução Industrial; 9. Revertendo o desenvolvimento – Como o colonialismo europeu empobreceu boa parte do mundo; 10. A difusão da prosperidade – 11. O círculo virtuoso – Como algumas partes do mundo tomaram rumos para a prosperidade distintos dos da Grã-Bretanha; 12. O círculo vicioso – Como as instituições que estimulam a prosperidade criam um esquema de retroalimentação positiva que anula as tentativas das elites de solapá-las Como as instituições geradoras de pobreza estabelecem um esquema de retroalimentação negativa e perduram; 13. Por que as nações fracassam hoje – Instituições, instituições, instituições; 14. Rompendo o padrão – Como alguns países mudaram sua trajetória econômica ao mudar suas instituições; 15. Compreendendo a prosperidade e a pobreza – Como o mundo poderia ser diferente e como entender isso pode explicar por que fracassa a maioria das tentativas de combate à pobreza; Ensaios e fontes bibliográficas; Referências; Índice.

 

POR QUE AS NAÇÕES FRACASSAM
Autor: ROBINSON, JAMES
Autor: ACEMOGLU, DARON
Tradutor: SERRA, CRISTIANA
Idioma: PORTUGUÊS
Editora: ELSEVIER EDITORA

 

O Fim do Poder

O mundo vem passando por uma série de transformações. Potências hegemônicas como os Estados Unidos têm de lidar cada vez mais com limitações em sua atuação, e as grandes companhias agora enfrentam a crescente ameaça dos pequenos empreendimentos. O poder, na política ou nos negócios, está se tornando mais fragmentado. Ao longo de O fim do poder, o escritor venezuelano Moisés Naím discute as mudanças pelas quais o mundo vem passando desde meados do século XX e procura explicar porque o poder é hoje tão transitório – e tão difícil de manter e usar -, examinando o papel das novas tecnologias e identificando as forças que estão por trás dessas transformações. Não se trata do fim das grandes corporações ou do conceito de “potência hegemônica”, mas sim de um fenômeno mais complexo, no qual todos nós estamos envolvidos, e que está instaurando um paradigma inédito na história da humanidade.

 

O FIM DO PODER
Autor: NAÍM, MOISÉS
Editora: LEYA BRASIL